Estação de controle com padrão militar para veículos aéreos não tripulados

*As fotos foram descaracterizadas para proteção de Propriedade Intelectual.

Nesse projeto no qual fui coordenador, financiado pela FAPESP PIPE Fase 1 e pela XMobots Aeroespacial e Defesa, projetamos e construímos um protótipo totalmente funcional de uma Estação de Controle com padrão militar para VANTs (popularmente conhecidos como drones).

O protótipo construído consistiu em um shelter onde os módulos de controle e comunicação ficam armazenados, antenas de comunicação telescópicas e softwares de operação capazes de se comunicar com os VANTs seguindo a norma STANAG 4586.

Aqui, executei tarefas de análise de requisitos, especificação de arquitetura, especificação de componentes, desenvolvimento de software conforme os requisitos especificados, seguindo MDD (Model Driven Development) e boas práticas de desenvolvimento como testes automatizados e controle de versões, gerenciamento de compras nacionais e internacionais de todos os componentes do projeto e coordenação de desenvolvimento mecânico, de hardware e de software dos sistemas do mesmo junto à extremamente competente equipe da XMobots Aeroespacial e Defesa.

Estação de Controle multi-drones

Tive a honra de participar do projeto da Estação de Controle do primeiro drone brasileiro a receber um Certificado de Autorização de Voo Experimental (CAVE) da ANAC, o Nauru 500. Aqui, atuei como desenvolvedor do software de tempo real utilizado na Estação de Controle.

Esse software também é utilizado em todos os drones da XMobots. Ele foi desenvolvido em C e C++, utilizando MDD com IBM Rational Rhapsody (UML) e Esterel SCADE. Ele atende a requisitos multiplataforma, sendo capaz rodar em ambientes embedded Linux (testado em plataformas com OMAP 3730 e Tegra K1) e Windows.

XMobots - Outros projetos

Na XMobots, além de ser responsável pela coordenação e desevolvimento do software das Estações de Controle, eu atuo em outras áreas, como:

  • Configuração do sistema de comunicação dos VANTs (Mikrotik);

  • Desenvolvimento e manutenção de webservices RESTful com Python (Flask, MongoEngine) e AWS;

  • Manutenção dos sistemas Linux das Estações de Controle;

  • Drivers de baixo nível (GPIO, I²C, SPI) com QNX e Linux;

  • Throubleshooting ;)

Criação e validação de uma arquitetura de hardware - ChipCFlow

Durante o mestrado no ICMC-USP, participei do projeto ChipCFlow, que é coordenado pelo Professor Dr. Jorge Luiz e Silva. Aqui, eu projetei e implementei em VHDL uma arquitetura de hardware com paralelismo de baixo nível para execução de grafos de fluxo de dados. Essa arquitetura foi feita pensando-se em FPGAs Xilinx, capazes de reconfiguração dinâmica e parcial em tempo de execução.

Para validar a arquitetura proposta, foi comparada a execução de um simples algoritmo Fibonacci iterativo em uma arquitetura ChipCFlow e em um CPU Core 2 Duo. O resultado apontou que o algoritmo foi executado na arquitetura ChipCFlow em um FPGA Virtex 2 (50 MHz) em um tempo absoluto inferior ao CPU Core 2 Duo (2 GHz), mesmo com a enorme diferença de clocks dos sistemas.

CPyNH

CPyNH é um framework fruto do meu trabalho de TCC sob orientação do Prof. Dr. Marcelo Barros de Almeida. Esse framework consistiu num conjunto de bibliotecas e ferramentas desenvolvidas em Python e C que permitiam a criação de uma interface gráfica remota com intenção de ser utilizada em dispositivos embarcados que não possuiam displays acoplados.

Sobre mim

Sou um cientista da computação apaixonado por ciência e computação. Possuo interesse nas áreas de desenvolvimento de sistemas [embarcados], aprendizado de máquina e visão computacional.

Possuo 15 anos de experiência na área e mestrado pelo ICMC-USP, onde trabalhei com FPGAs e sistemas embarcados.

Quando não estou trabalhando, me dedico ao saxofone e à fotografia.

Vamos construir algo incrível juntos? Se você tem interesse em executar um projeto de alta tecnologia, seria uma honra trabalhar com você.

Entre em contato pelo meu e-mail: fsjuniorΘgmail·com

Meu Currículo

"The competent programmer is fully aware of the strictly limited size of his own skull; therefore he approaches the programming task in full humility, and among other things he avoids clever tricks like the plague" – Edsger Dijkstra.